Pré-história nas Américas: A chegadas dos primeiros seres humanos

Principais Teorias das rotas migratórias humanas para as Américas. As rotas pelo Estreito de Bering (Cultura Clóvis) e as rotas pelas navegações do Oceano Pacífico (Teoria das Múltiplas Entradas).
Principais Teorias das rotas migratórias humanas para as Américas. As rotas pelo Estreito de Bering (Cultura Clóvis) e as rotas pelas navegações do Oceano Pacífico (Teoria das Múltiplas Entradas).

Ao falarmos dos primeiros seres humanos pelo planeta lembramos as primeiras populações da África, Europa e Ásia, mas nas Américas há fortes indícios de que aqui havia populações já há muito tempo estabelecidas.

Tais questões ainda geram muitas polêmicas no meio científico, dentre elas a pergunta principal: de onde vieram os primeiros habitantes das Américas?

Principais teorias sobre as chegadas dos primeiros habitantes das Américas

Antes da chegada dos europeus no continente americano já existiam habitantes em sociedades organizadas e estabelecidas, ou seja, antes do “descobrimento” do Novo Mundo já se habitava há muitos anos esse território.

A partir de estudos científicos de diversas áreas do conhecimento, principalmente da arqueologia, obtemos algumas respostas importantes para entender e desmistificar certas visões sobre nossa origem.

Chegada dos primeiros humanos na América e suas teorias científicas

No meio científico há duas teorias que possuem que buscam explicar como esses primeiros humanos vieram a se estabelecer nas Américas, a Cultura Clovis e a Teoria de múltiplas entradas.

Ambas possuem diferentes visões de como e por aonde esses humanos chegaram a América baseadas em diversos achados em diferentes partes do continente.

É importante dizer que ambas as teorias não se excluem, mas explicam de maneiras diferentes como ocorreu esse povoamento em diferentes partes do continente.

Principais Teorias das rotas migratórias humanas para as Américas. As rotas pelo Estreito de Bering (Cultura Clóvis) e as rotas pelas navegações do Oceano Pacífico (Teoria das Múltiplas Entradas).
Principais Teorias das rotas migratórias humanas para as Américas. As rotas pelo Estreito de Bering (Cultura Clóvis) e as rotas pelas navegações do Oceano Pacífico (Teoria das Múltiplas Entradas).

Cultura Clovis e a passagem pelo Estreito de Bering

Por muito tempo foi considerada como a explicação mais concreta para a chegada do homem no continente americano, onde sua chegada dataria por volta de 11 mil a 12 mil anos atrás.

As primeiras evidências sobre essa teoria foi encontrada no início do século XX, na cidade de Clovis na região do Novo México nos Estados Unidos. Foram encontradas desde pontas de flecha a ossadas e fósseis de animais.

Os primeiros ancestrais humanos teriam chegado as Américas no final do período glacial, através de um ciclo migratório pelo Estrito de Bering que ligava a Sibéria e do norte asiático ao que hoje seria o Alasca.

Não se sabe exatamente o porquê esses indivíduos migraram para as Américas, acredita-se que foi através da caça e da procura de novas fontes de alimento assim buscaram novas formas de se adaptar a natureza aqui existente.

A semelhança dos povos do norte da América como os indígenas norte-americanos e os povos inuit do Alasca com os povos do norte da Ásia, os mongóis reforçaram por muito tempo essa teoria.

Teoria das Múltiplas Entradas: O ser humano na América do Sul

Os sítios arqueológicos descobertos em diferentes locais da América do Sul como no Chile, Argentina e no Brasil, colocaram em cheque a Cultura Clovis como teoria hegemônica de povoamento pré-histórico nas Américas.

Defendida por estudiosos sul-americanos, dentre eles o arqueólogo Brasileiro Walter Neves, de que o resultado da chegada dos primeiros humanos se deu por diversas ondas migratórias.

O principal argumento para isso foi a descoberta na região de Minas Gerais do fóssil de Luzia, o mais antigo humano das Américas.

 Com a reconstrução do rosto de Luzia por um laboratório inglês descobriu-se que ela possuía características diferentes dos humanos que povoaram o norte da América se assemelhando mais aos povos da Oceania que eram de origem africana.

Uma das formas de migração teorizada nesse período seria por meio de navegações semelhante à cabotagem onde esses humanos atravessaram o oceano Pacífico fazendo paradas nas ilhas no meio do caminho até chegaram à América do Sul.

Tal descoberta abalou o mundo científico, pois significou a criação de novas teorias onde as migrações humanas teriam vindo de outras partes do planeta e seriam ainda mais antigas, pois Luzia havia sido datada de 11.600 atrás.

O crânio (à esquerda) e a reconstrução de como seria o rosto de Luzia (à direita)
O crânio (à esquerda) e a reconstrução de como seria o rosto de Luzia (à direita)
Nickolas Laprovita
Sobre Nickolas Laprovita 6 artigos
Mestrando em História Social na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) e graduado em licenciatura e bacharelado na Universidade Federal Fluminense (UFF).