As Cruzadas: Razões, Organização e Importância

Representação das Cruzadas.
Representação das Cruzadas.

As cruzadas foram movimentos de expedições militares à Terra Santa impulsionados pela Igreja Católica que ocorreram no contexto da Idade Média e do feudalismo, entre os séculos XI e XIII.

A realização destas tinha como desígnio a volta e a reconquistas da Terra Santa pelos cristãos. O território que naquela época era chamado de Terra Santa em Jerusalém equivale hoje ao território da Palestina.

Quais as razões para as Cruzadas?

O território de Jerusalém era um espaço sagrado para os cristãos católicos. Porém este espaço foi perdido durante o período de expansão do islamismo com a dominação dos turcos seljúcidas na região.

Contudo, o local também era sagrado para os judeus, devotos da religião hebraica e para os muçulmanos, da religião islâmica.

Este impasse inicia a disputa pela conquista da e retomada da Terra Santa através do Jihad, isto é, da guerra santa.

Jihad, guerra santa.

Na expansão da civilização islâmica, estes, influenciados pelo conceito de Jihad, conhecida como guerra santa.

Eles iram ocupam diversas terras do Norte da África Oriente Médio e a península ibérica na Europa. O conceito islâmico de Jihad significa “lutar pela fé perfeita” e se refere à luta de cada um em busca da fé, isto é, é defesa do Islamismo, incluindo as seus crenças, preceitos e os adeptos.

Na época do profeta Maomé, do islamismo, o conceito que também pode ser traduzido como “guerra sagrada ou santa”, significava a luta pela propagação, pregação e conversão de pessoas para o islamismo, ou seja, expansão da religião.

A organização das primeiras cruzadas

Em 1095, o Papa Urbano II passa a contestar esta expansão e convoca os cristãos para reconquistas as terras perdidas de Jerusalém, por ser um local sagrado para eles.

Camponeses, fiéis, crianças e pessoas de todos as camadas sociais se unem em prol da Igreja católica e da promessa de que receberiam recompensas da igreja e uma possibilidade de ascensão social.

Esta primeira cruzada não teve sucesso e muitos combatentes morreram.

Após esse evento foi organizado a Ordem dos Cavaleiros Templários com um contingente militar significativo. Juntaram se a eles o exército de franceses também inspirados na mesma causa estes que tinha como líder Godofredo de Bulhões, tiveram êxito e massacraram os turcos tomando de volta Jerusalém e deixando a região com livre passagem para os devotos católicos.

Diversas expedições como estas foram realizadas, marcando séculos de conflito entre o Oriente e o Ocidente. Ao todo houve nove cruzadas, mas muitas delas foram realizadas em território europeu para expulsar os muçulmanos e outras nem chegaram a avançar para o oriente.

A última, liderada pelo Príncipe da Inglaterra Eduardo I, entre 1271 e 1272, possibilitou a efetiva retomada dos cristãos a Jerusalém.

No entanto, logo em seguida em 1291, os muçulmano tomaram novamente a região. Será somente em 1492 que o local será reconquistado pelos cristãos.

Representação das Cruzadas.
Representação das Cruzadas.

A importância das Cruzadas?

O uso desse termo é devido os combatentes usarem como símbolo nas suas roupas uma cruz vermelha ou preta.

Estas foram de fundamental importância para o surgimento do comércio europeu, no período chamado de renascimento.

Pois, muitos dos combatentes quando voltavam das batalhas saqueavam as grandes cidades e utilizavam tais produtos para organizar feiras nas rotas comerciais.

Esta prática possibilitou uma nova movimentação para o comercio e a economia do ocidente.

Além disso, a experiência dos cavaleiros no oriente disponibilizou a estes um grande aprendizado e conhecimento até então desconhecido para os europeus.

Maíra Pires
Sobre Maíra Pires 26 artigos
Doutoranda em História Social ( PUC-SP), Mestre em História (UDESC), Licenciada e Bacharel em História (UDESC), Pesquisadora do Centro de Estudos Culturais e da Diáspora ( CECAFRO).